Se você já adquiriu alguns (ou muitos) tacos de golfe, certamente já passou por momentos de indecisão na hora de selecionar quais as peças que seriam levadas ao campo ou quais se adequariam melhor com um determinado terreno, já que, para ter sucesso em uma partida de golfe, é preciso muito mais que força e precisão. É necessário também um bom conhecimento sobre os recursos que você tem em mãos.

Como montar um kit para uma partida?

Para partidas, o kit de tacos precisa ter, no máximo, 14 peças, que precisam atender ao máximo de condições possível para que se obtenha um resultado positivo nos jogos. De forma geral, os tacos se dividem em três grandes grupos: tacos de madeira, de ferro e o putter. Vejamos abaixo como cada tipo de taco se comporta:

Mais pesados, são comumente utilizados para tacadas em distâncias curtas, já que o peso mais elevado garante muito mais precisão no lance. Por isso, quanto mais próximo do green, maior será o número do taco de ferro a ser utilizado.

Por ser muito mais leve que o de ferro, um taco de madeira oferece ao jogador a possibilidade de lances mais longos, já que permite uma maior velocidade no momento da tacada, algo útil nos primeiros lances ou quando se está longe do green.

Este é o taco que diferencia um jogador iniciante de alguém experiente. O putter é o taco responsável pelo lance final, por colocar a bola no buraco. Existem inúmeros tipos de putter, que variam conforme o tipo de cabeça, que pode ser mais ou menos curta, barriguda, comprida, entre outros.

É importante atentar na escolha do melhor putter conforme o tipo de terreno em que está jogando, afinal, ele é responsável pelo lance mais importante da partida: o lance final.