Ele figura em praticamente todas (quiçá em todas) as listas com os melhores jogadores de golfe do mundo e foi um dos responsáveis por um ciclo de popularização do golfe entre grupos até então não envolvidos com o esporte, como grupos étnicos e de renda per capita mais baixa dos Estados Unidos.

Tiger Woods tornou o esporte, que até então era tido como restrito à elite e sinônimo de poder e riqueza algo mais próximo e realizável para pessoas de todas as idades.

Nascido na Califórnia em 1975, Woods ganhou seu primeiro campeonato “major” aos 21 anos, e a partir deste acumulou inúmeros títulos relevantes, tanto que ao completar 29 anos já havia conseguido a incrível marca de dez grandes campeonatos profissionais (e se você adicionar à lista os três campeonatos amadores que ele ganhou na juventude, o número de vitórias se torna ainda mais expressivo e raro).

O elevado número de vitórias vindos de um jogador tão jovem e de postura mais simpática fez com que ele se tornasse um dos rostos mais comercializados do esporte, assinando inúmeros contratos de publicidade e tornando-se conhecido para além do golfe.

Devido às inúmeras vitórias e contratos de publicidade, Tiger Woods foi o primeiro jogador de golfe a se tornar bilionário em consequencia do esporte.

Se você pensa que pelas vitórias e contratos relevantes Woods é uma pessoa sortuda, engana-se redondamente. A carreira de Woods, apesar dos inúmeros campeonatos, é recheada de lesões físicas, tendo enfrentado mais de dez lesões médicas sérias, entre torções, rompimento de cartilagens e tendões. Porém, apesar de todas essas ocorrências (além dos escândalos de sua vida privada), Woods continua retornando aos campos de golfe e ganhando mais e mais partidas e campeonatos e se reforçando como um dos primeiros nomes a ser lembrado ao se pensar em “campeão de golfe”.